BTT: Repsol participou na “Travessia BTT Madrid-Lisboa 2016”

0

O Grupo Desportivo da Repsol Polímeros participou nos dias 30 de setembro e 1 de outubro, numa das mais duras provas de BTT, a travessia Madrid-Lisboa.

A prova foi disputada ao longo de 770 quilómetros em trilhos de terra batida, single-track, estradões e estradas secundárias em que os atletas partiam de Madrid e terminavam no Parque das Nações em Lisboa, passando obrigatoriamente por nove localidades onde existiam os abastecimentos, apoio mecânico e médico e os respetivos postos de controlo.

A equipa da Repsol Polímeros/STAHL alinhou com quatro atletas, Nelson Guia, Nuno Nogueira, Fábio Costa e Bruno Rocha, competindo na vertente de quatro elementos, tendo terminado em 15º lugar na geral entre mais de 200 equipas e com um excelente 4º lugar na categoria de clubes amadores a 8 minutos do pódio, tendo demorado 35 horas e 51 minutos a percorrer os 770 quilómetros.

Para estes atletas “foi uma experiência única até á data, tendo em conta todas as adversidades que uma prova deste género acarreta”, mas, segundo eles, “tornou-se mais fácil pela excelente organização da prova que cumpriu em tudo o que lhe pode ser exigido em termos de segurança, alimentação, apoio exterior, trilhos e convívio”.

Esta é uma prova em que competem atletas profissionais lutando até ao fim pelo primeiro lugar, atletas amadores que também nunca desarmam em termos competitivos, campeões de outras modalidades que usam o BTT para treinarem as suas capacidades físicas, figuras publicas que simplesmente participam por uma ou outra causa nobre e um sem numero de amantes desta modalidade.

O cansaço, a privação do sono, pedalar e navegar por GPS durante a noite e controlar a alimentação foram as principais dificuldades sentidas. De salientar que os atletas participando numa equipa de 4 elementos podem descansar durante 5/6 horas, mas nesse espaço de tempo tem de se deslocar de uma localidade para outra por duas vezes antes de voltarem a pedalar, preparar a bicicleta para a etapa seguinte e preparar a sua alimentação, tornando assim o descanso praticamente nulo.

No final, o balanço da participação da equipa Repsol Polímeros/STAHL é “muito positivo tendo em conta que a prova decorreu sem qualquer incidência de anormal, exceção feita a um furo e uma queda ligeira, terminando num excelente lugar da tabela classificativa”.

Esta prova foi a demostração de que os anos vão passando e a experiência vai se acumulando nos atletas, levando assim a que se consiga participar e competir com o mínimo de percalços.

 

 

Deixar uma resposta

Share This