Ferreira do Alentejo: Câmara investe 1,5ME em obras e modernização administrativa

0

A Câmara de Ferreira do Alentejo, vai investir 1,5 milhões de euros em obras de requalificação urbana e projetos de modernização administrativa, disse hoje à agência Lusa o presidente do município.

Trata-se, segundo Aníbal Costa, de investimentos em “setores importantes para o concelho”, como os de requalificação urbana, reabilitação de escolas e de modernização administrativa de serviços municipais.

A autarquia já adjudicou as obras e os projetos e os trabalhos vão arrancar em janeiro de 2017, adiantou o autarca.

A obra de maior investimento, de 650 mil euros, está inserida no Programa de Requalificação Urbana de Ferreira do Alentejo e vai permitir reabilitar o mercado municipal da vila e efetuar arranjos na zona envolvente.

A segunda obra de maior investimento, de 350 mil euros e integrada no Programa de Recuperação de Edifícios e Espaços Escolares do Concelho de Ferreira do Alentejo, vai permitir reabilitar a Escola do 1.º ciclo do Ensino Básico da vila.

Também no âmbito do programa de requalificação urbana, a autarquia vai construir um arruamento na aldeia de Peroguarda, num investimento de 50 mil euros.

A reabilitação de equipamentos de desporto e lazer da frente ribeirinha da aldeia de Santa Margarida do Sado, a construção de um edifício de apoio ao reservatório de abastecimento de água e a iluminação monumental da igreja de Nossa Senhora da Conceição na vila de Ferreira do Alentejo são as restantes obras, sendo que cada uma vai implicar um investimento de 25 mil euros.

Quanto aos projetos integrados no Programa de Modernização Administrativa “E-Ferreira”, o de maior investimento, de 275 mil euros, vai permitir criar e equipar o Balcão Único da Câmara de Ferreira do Alentejo.

Os restantes dois projetos vão implicar um investimento de 150 mil euros e permitir ao município cadastrar a rede de águas e saneamento do concelho e adquirir “software” de informação geográfica.

Segundo Aníbal Costa, as intervenções são possíveis graças à “boa saúde financeira” do município, porque só duas das seis obras, as de reabilitação do mercado municipal e arranjos da zona envolvente e de requalificação da escola, e os três projetos são cofinanciados por verbas da câmara e de fundos comunitários.

As restantes quatro obras são financiadas exclusivamente por verbas do município.

Deixar uma resposta

Share This