Grândola recupera antiga adega para valorizar produtos endógenos (com fotos)

0

A Câmara de Grândola inaugurou nesta segunda-feira, um novo espaço dedicado à promoção e valorização dos produtos endógenos, no edifício de uma das mais antigas adegas do concelho que foi requalificado.

“Além da recuperação do nosso património histórico e cultural, queremos fazer a promoção dos vinhos, mel, queijo, medronho e da doçaria e colocar este espaço à disposição dos produtores locais para aqui desenvolverem várias atividades”, disse hoje à agência Lusa António Figueira Mendes, presidente da Câmara de Grândola.

Localizada numa das principais entradas da vila alentejana, a nova “Casa Mostra de Produtos Endógenos”, projeto com assinatura do Gabinete de Arquitetura de Francisco Aires Mateus, vai ser inaugurada na segunda-feira, dia em que o município assinala 474 anos de existência.

“Queríamos alguma inovação do ponto de vista arquitetónico e devido à relação umbilical dos Aires Mateus ao concelho de Grândola decidimos entregar o projeto ao Francisco [Aires Mateus] que ficou responsável pela recuperação do espaço”, justificou o autarca.

As obras de 230 mil euros, que arrancaram há cerca de dois anos, permitiram recuperar o edifício de uma das mais antigas adegas da vila, pertença de António Inácio da Cruz, mantendo as suas características originais e cujo espaço foi adaptado a Núcleo Museológico dedicado à vinha e ao vinho.

“Procurámos manter o espaço da antiga adega, à exceção da iluminação e do pavimento. Recuperámos as pipas e os tonéis antigos, colocámos painéis sobre a produção do vinho no concelho e construímos ao lado, num armazém antigo, uma sala polivalente, com cerca de 60 lugares, onde os produtores podem realizar ‘workshops’ e colóquios”, acrescentou.

Na zona envolvente à “Casa Mostra de Produtos Endógenos”, a autarquia manteve algumas das oliveiras de um antigo olival e, num terreno de cerca de mil metros quadrados, plantou uma vinha de diferentes castas.

“A intenção é dar-lhe um cunho pedagógico e de apoio às escolas, crianças e jovens, que, a partir de agora, podem visitar aquele espaço e ficar a saber como se trata da vinha, se colhem as uvas e como se coze o vinho para que os alunos conheçam melhor a história do concelho”, referiu.

António Figueira Mendes acredita que a nova “Casa Mostra de Produtos Endógenos” será geradora “de uma simbiose” entre os produtores de queijo, enchidos e outros produtos da região e os produtores de vinho do concelho.

O projeto insere-se “num olhar mais vasto” sobre o património histórico do concelho que a autarquia quer desenvolver nos próximos anos, com vista a “promover a centralidade” da vila de Grândola, no litoral alentejano.

“Temos ao longo da costa e na serra de Grândola grandes empreendimentos turísticos e não podemos esquecer que a sede do concelho também precisa de ser atrativa para se constituir numa oferta a quem nos visita e, para isso, estamos a recuperar um conjunto de edifícios de valor histórico para revitalizar a economia local”, frisou.

As obras da “Casa Mostra de Produtos Endógenos” contaram com uma comparticipação comunitária de 85%, no âmbito de uma candidatura apresentada pelo município ao programa Portugal 2020.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Share This