Montemor-o-Novo: Festival de Sopas de Montemor-o-Novo dá a provar 50 variedades deste prato

0

Mais de 50 sopas vão estar à prova em Montemor-o-Novo, no distrito de Évora, entre sexta-feira e domingo, num festival gastronómico que coloca este prato no centro das atenções para estimular o seu consumo.Parte superior do formulárioParte inferior do formulário

Trata-se do 13.º Festival de Sopas de Montemor-o-Novo, promovido pela câmara municipal e que vai decorrer no Pavilhão de Exposições da cidade alentejana.

Os objetivos do evento, assumiu hoje o município, em comunicado, passam por “estimular o consumo da sopa e divulgar o património gastronómico” local, “unindo a tradição aos benefícios deste prato tão saudável”.

O certame conta com a participação de cerca de 20 restaurantes da região, que vão oferecer, no global, mais de 50 sopas, que vão poder ser degustadas pelos visitantes.

Açorda alentejana, canja de galinha, sopa de peixe, da horta, da pedra, de cação, de feijão com couve, caldo verde e tomatada são algumas das opções.

Do lote de iguarias fazem também parte cozido de grão, sopa de feijão com mogango, de cardos limados com bacalhau, de espinafres com feijão, poejada de bacalhau, ensopado de borrego, feijoada de cogumelos, ranchinho ou sopa de beldroegas com queijo.

O festival conta com o Espaço Vinhos de Montemor, dinamizado pela Marca ADL, com provas e experiências sensoriais, e a presença de empresas de licores e ovos-moles e de cogumelos, assim como de associações locais.

A animação musical é outro “ingrediente” do Festival de Sopas, com o programa a arrancar, na sexta-feira à noite, com o grupo Vozes do Imaginário, um coro feminino dedicado às polifonias tradicionais portuguesas.

“O legado de Michel Giacometti e Fernando Lopes-Graça é o elemento de partida desta revisita à tradição musical portuguesa”, que engloba polifonias femininas do Minho, modas de trabalho do Alentejo, canções de romaria das Beiras, cantos das festas natalícias do Minho ao Algarve e ainda canções de José Afonso, explicou a organização.

O grupo Marchinha do Botequim, constituído por quatro elementos, atua no sábado, à tarde e à noite, sendo a vez, no domingo, do grupo “Os Alentejanos”, fundado em 1998, por elementos com experiência na área do cante alentejano e em várias outras áreas musicais.

“O seu repertório é recolhido na música tradicional do Baixo Alentejo, procurando divulgar as diversas interpretações existentes, desde as modas de baile, religiosas e de ‘desfile’, cantadas pelos trabalhadores do campo quando se deslocavam para o trabalho, assim como outras de estilo mais recitativo”, referiu a câmara municipal.

Sessões de “showcooking” e a apresentação do Roteiro do Enoturismo, com prova de vinhos comentada pela Confraria dos Enófilos do Alentejo, vão ser outros dos momentos altos do certame.

 

 

Deixar uma resposta

Share This