Nova ferrovia Sines/Caia nas prioridades do Plano Nacional de Investimentos

0

O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d’Oliveira Martins, assegurou hoje que o Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030 vai incluir nas suas prioridades a nova ferrovia Sines/Caia e outros projetos que resultem da sua construção.

“Uma das prioridades” do PNI 2030 que “salta à vista” e que “resulta também da concretização do plano deste Governo, que é o Ferrovia 2020, é a componente ferroviária e tudo o que se segue” à concretização do Corredor Internacional Sul, afirmou.

O Governo, continuou, prevê “completar esse corredor ainda neste quadro”, o Portugal 2020, mas “todos os projetos que resultarem” da sua construção também terão uma “componente estratégica importante para o 2030”.

O governante falava aos jornalistas à margem de uma sessão regional de auscultação e recolha de contributos do PNI 2030, realizada nas instalações da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, em Évora.

Também em declarações aos jornalistas, o presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), José Calixto, defendeu que o PNI 2030 deve estar integrado “com outros planos que a região está a desenvolver”, nomeadamente com o Plano Regional de Ordenamento do Território, os planos estratégicos das comunidades intermunicipais e com os grandes investimentos previstos.

“O que está à volta tem de contar para as opções e prioridades do plano”, referiu, dando como exemplo a construção do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora: “Se há, tem de haver uma conexão de todo o território para não termos o Alto ou o Baixo Alentejo a pensarem que este é só um hospital do Alentejo Central”, disse.

O também autarca socialista de Reguengos de Monsaraz sublinhou que o novo hospital “não é matéria” do PNI 2030, mas referiu que a concretização do projeto “implica que se pense no Plano Nacional de Investimentos 2030 em mais umas dezenas de milhões para as ligações rodoviárias e, depois, criar uma conexão com todo o Alentejo”.

O aumento da capacidade de fornecimento de água do Alqueva à população e à agricultura, questões relacionadas com a qualidade da água da albufeira e o projeto de uma central dessalinizadora foram outros dos assuntos levantados por José Calixto, que também representou a Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL).

Já o presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, Ricardo Pinheiro (PS), considerou como “investimento prioritário” a construção da Barragem do Pisão, no concelho do Crato, distrito de Portalegre.

“É [um projeto]absolutamente estruturante”, assinalou.

Entre outras sugestões, o também autarca de Campo Maior apontou ainda a necessidade de se “adaptarem os percursos formativos do ensino no Alentejo à criação de riqueza na região”.

O Programa Nacional de Investimentos 2030 define os investimentos estratégicos que o país deverá alcançar na próxima década, estando articulado com os objetivos estratégicos definidos para o Portugal 2030, neste caso nos setores da Mobilidade e Transportes, Ambiente e Energia.

Abrange as infraestruturas de nível nacional localizadas em Portugal Continental com projetos ou programas com um investimento superior a 75 milhões de euros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Share This