Odemira: Cerro do Peguinho recebe 12ª edição do Festival TassJazz

0

Depois das duas primeiras noites no Quintal da Música, em Odemira, a 12ª edição do Festival TassJazz sobe a partir de hoje à noite ao Cerro do Peguinho, para três grandes espetáculos de jazz, ao ar livre, com entradas gratuitas, numa iniciativa do Município de Odemira.

A partir de hoje, 2 de julho, e até sábado, 4 de julho, sempre a partir das 22.00 horas, a festa do jazz acontece no Cerro do Peguinho, com espetáculos de Massimo Cavalli (Itália), Jorge Pardo (Espanha) e Marta Hugon (Portugal).

Massimo Cavalli Quarteto será o primeiro convidado. Em palco estarão Massimo Cavalli (contrabaixo), Francesco Bearzatti (sax tenor e clarinete), João Paulo Esteves da Silva (piano e acordeão) e Joel Silva (bateria). O Quarteto nasceu da vontade do baixista e compositor italiano Massimo Cavalli em dar voz a temas originais. A escolha dos músicos que o acompanham foi cuidadosa, síntese de uma cumplicidade musical que se consolidou no curso de colaborações em vários projetos. Apresentam timbres de instrumentos com sonoridades e caraterísticas longínquas, que criam uma combinação interessante de sons e texturas.

Na sexta-feira, dia 3 de julho, o Festival TassJazz receberá Jorge Pardo, nome incontornável do jazz espanhol. O Quarteto de Jorge Pardo (flauta e saxofone) conta também com os músicos Rycardo Moreno (guitarra), Manu Masaedo (percussão) e Josué “Ronkio” (baixo elétrico). Jorge Pardo começou a tocar guitarra, mas imediatamente foi atraído pelo mundo dos instrumentos de sopro. Gravou com Paco de Lucia, com quem colaborou ao longo do tempo em projetos e tours em todo o mundo, e partilhou palcos com muitos músicos, como Chick Korea. Jorge Pardo recebeu, em 2013, o prémio de Melhor Músico de jazz europeu, pela prestigiada Academia Francesa de Jazz.

A última noite do TassJazz será reservada para uma senhora do jazz português, Marta Hugon. O quinteto é composto por Marta Hugon (voz), Filipe Melo (piano), Mário Delgado (guitarra), Nelson Cascais (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria). Dotada de um sólido conhecimento da tradição jazz (ensina na escola do Hot Clube, tendo também sido solista da Big Band), Marta Hugon manifesta uma constante necessidade de se reinventar musicalmente e de acompanhar o espírito dos tempos. Marta Hugon já não é uma promessa, é uma confirmação.

O Festival conta também com a participação do artista plástico Philippe Peseux, para uma performance de pintura ao vivo em simultâneo com os espetáculos de jazz, no Cerro do Peguinho.

Deixar uma resposta

Share This