Região: Litoral alentejano vai contar com reforço médico de especialistas de Lisboa

0

A Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) estabeleceu hoje protocolos, com dois centros hospitalares de Lisboa, que permitem suprir necessidades nas áreas de pneumologia e otorrinolaringologia e fazer teleconsultas de cirurgia vascular e angiologia.

“Os protocolos decorrem no âmbito da estratégia de aproximação de cuidados às populações, nomeadamente de trazer para o litoral alentejano algumas especialidades que não tínhamos ou tínhamos de forma mais pontual”, disse à agência Lusa o presidente do conselho de administração da ULSLA, Paulo Espiga.

Um pneumologista do Hospital de Santa Maria, integrado no Centro Hospitalar Lisboa Norte, vai reforçar o serviço no Hospital do Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, que, segundo adiantou Paulo Espiga, contava até agora com “dois profissionais, os quais, ao todo, faziam 20 horas por semana”.

“Basicamente [esses profissionais]só faziam exames, agora permitir-nos-á ter aqui uma vertente de pneumologia comunitária, nomeadamente rastreios e algumas consultas descentralizadas”, disse, indicando estarem também planeadas consultas em Grândola e Alcácer do Sal, “pelo menos uma vez por mês”.

Além do reforço do serviço de pneumologia, do mesmo centro hospitalar vai deslocar-se ao litoral alentejano, um dia por semana, uma equipa de três profissionais de otorrinolaringologia que vai retomar as intervenções cirúrgicas da especialidade, interrompidas há mais de um ano.

“Há um ano e meio que nós não fazemos intervenções cirúrgicas, porque só tínhamos um profissional através de uma empresa e que não podia fazer cirurgias”, explicou o mesmo responsável.

O acordo com o Centro Hospital de Lisboa Norte abrange ainda a “patologia clínica”, passando o HLA a enviar para o Hospital de Santa Maria as análises que não tem capacidade para fazer internamente e que eram até agora remetidas para o setor privado, o que permitirá “poupanças de 20%”.

A ULSLA vai também enviar um anatomopatologista, uma vez por semana, ao Hospital de Santa Maria. Por seu turno, o protocolo com o Centro Hospitalar de Lisboa Central visa a realização de teleconsultas de cirurgia vascular e angiologia, com o Hospital de Santa Marta.

Em breve, deverá entrar em vigor outro acordo, com o Hospital de Setúbal, que vai permitir o reforço do serviço de urologia, que atualmente conta com uma lista de espera de “quase um ano” para a primeira consulta.

“Com o médico que cá temos as vagas para primeira consulta são para julho de 2017. Com este reforço, que se iniciará na próxima semana, vamos certamente até final do ano ou janeiro ter os utentes todos atendidos com um tempo de resposta mais baixo, também na área cirúrgica”, garantiu.

Embora estes acordos permitam suprir necessidades de especialistas a nível de pneumologia e de otorrinolaringologia, há outros setores, reconheceu, que “continuam com carência de profissionais”, como é o caso da gastroenterologia, pediatria e da medicina interna.

Os protocolos com os centros hospitalares de Lisboa Central e Lisboa Norte foram assinados numa cerimónia, em Santiago do Cacém, em que foi também assinalado o 4.º aniversário da ULSLA.

Criada em 2012, a ULSLA integra, além do HLA e da Unidade de Saúde Pública do Alentejo Litoral, o Agrupamento de Centros de Saúde do Alentejo Litoral, com cinco unidades nos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira e respetivas extensões, dando resposta a uma população de cerca de cem mil habitantes.

Deixar uma resposta

Share This