Região: Utentes querem obras no IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola incluídas no OE2017

0

A Comissão de Utentes do Itinerário Complementar (IC)1 quer ver incluída no Orçamento do Estado para 2017 a obra de requalificação da estrada entre Alcácer do Sal e Grândola, onde passam diariamente “cerca de nove mil veículos”.

O apelo, remetido por escrito ao Governo, surge após mais um acidente, ocorrido no dia 02 deste mês naquela via, apontada pelos utentes como “estrada da morte”, entre Alcácer do Sal e Grândola, no distrito de Setúbal, que causou dois mortos.

“Estas duas mortes vão contribuir, negativamente, para um incremento, já acentuado, dos índices de sinistralidade com vítimas mortais, ocorridas no IC1, nomeadamente na ligação de Alcácer do Sal a Grândola, já conhecida como ´estrada da morte`”, escreve a Comissão de Utentes num comunicado, divulgado também junto da população.

A “degradação” e a “ausência de manutenção efetiva” do IC1 são apontadas, mais uma vez, pela Comissão de Utentes, que critica a “demora” por parte do Governo e da concessionária em encontrar “uma solução”.

“Esta degradação representa um grave atentado a todos os utentes que ali passam diariamente, cerca de nove mil veículos, bem como dos interesses das populações residentes, que têm visto, nestes últimos longos anos, a sua condição de vida afetada quer no âmbito económico e social, quer, sobretudo, na sua segurança e integridade física”, alerta.

A Comissão de Utentes lembra ainda que o IC 1 é considerado “uma das principais vias de comunicação entre o norte e o sul do país, bem como do litoral alentejano, em particular, para os transportes pesados com ligação ao Algarve e aos portos de Sines e de Setúbal”.

Ao final da tarde do último domingo, uma colisão entre dois veículos provocou um ferido ligeiro no IC1, em Canal Caveira, no concelho de Grândola, numa zona em que, embora fora do troço com “mais problemas”, a estrada também está “degradada”, segundo frisou, em declarações à Lusa o responsável da Comissão de Utentes, Manuel Rocha.

“Entre a Marateca e Canal Caveira, a estrada está degradada”, embora a “zona com mais problemas seja entre a rotunda de Grândola e a ponte de Alcácer do Sal”, disse, referindo-se ao troço com cerca de 21 quilómetros onde têm sido reivindicadas obras “urgentes” por autarcas e pela população.

“Não queremos mais mortes nesta estrada, exigimos a reparação do IC1”, insistem os utentes no documento enviado ao Presidente da República, primeiro-ministro, ministros da Economia e do Planeamento e das Infraestruturas, grupos parlamentares, empresa Infraestruturas de Portugal (IP) e às autarquias locais.

Também o presidente da Assembleia Municipal de Grândola, Rafael Rodrigues, tinha enviado uma missiva ao Governo, na quinta-feira passada a exigir a “reparação urgente e imediata” do troço do IC1 entre Grândola e Alcácer do Sal.

Em março deste ano, o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d´Oliveira Martins, previu o inicio das obras para o final deste ano, segundo relatou à agência Lusa o presidente do município de Alcácer do Sal, Vítor Proença, após reunir com o governante, juntamente com o autarca de Grândola, para reivindicar “a reparação urgente” da estrada.

“Para o final deste ano, de acordo com a indicação do governante, há perspetiva de se iniciar a obra, atendendo ao facto de o processo estar ainda a aguardar uma autorização do Tribunal de Contas”, disse o autarca na altura.

 

 

Fonte: Diário Digital

Deixar uma resposta

Share This