Santiago do Cacém: Começaram ontem as obras de requalificação da Rua Prof. Egas Moniz

1

Começou ontem, dia 17 de outubro, a obra de requalificação da Rua Prof. Egas Moniz, em Santiago do Cacém.

O investimento, a rondar os 600 mil euros, vai trazer segundo a autarquia “condições renovadas a uma das principais artérias da cidade” e marca o início das obras integradas no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), da Câmara Municipal.

Álvaro Beijinha, Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, adianta que esta é “uma intervenção que vai incidir, fundamentalmente, na mobilidade. Por um lado, a intenção é dar mais mobilidade aos peões. Vamos intervir nos passeios e criar zonas de circulação mais seguras para os peões. Por outro lado, vamos tentar resolver um problema que tem a ver com este eixo, que tem o maior tráfego dentro da cidade”, sublinha Álvaro Beijinha, que não esquece “os problemas provocados pelos veículos pesados. Nas horas de ponta, de manhã e ao final da tarde, há sempre congestionamento de trânsito”.

“Aquilo que está previsto é a construção de três rotundas: uma junto à Caixa Agrícola; outra junto à Caixa Geral de Depósitos; e outra junto aos Correios”. Estas alterações vão “acabar com os semáforos” e o Presidente da autarquia está convicto que as grandes melhorias passam por aqui.

“Temos a certeza absoluta que, do ponto de vista da circulação do tráfego, vai melhorar bastante”, destacando o objetivo de “acabar com as filas de trânsito”. O parqueamento dos automóveis é também uma preocupação da autarquia.

“Hoje, os carros estacionam em cima do passeio. Vamos criar zonas de estacionamento apropriadas para os veículos automóveis e vamos devolver o passeio por completo aos peões, com zonas de circulação”, enaltecendo a adequação, por exemplo, “para carrinhos de bebé e para pessoas com mobilidade condicionada (cadeiras de rodas)”.

“A obra tem um prazo de oito meses e queremos que termine dentro desse limite. Temos consciência de que vai haver constrangimentos durante a obra”, algo que Álvaro Beijinha considera ser “natural, tendo em conta a via que é. A fase de arranque é, talvez, a mais complicada da obra, pois vamos ter de mexer nos pluviais”.

Recorde-se que a intervenção inicial está a decorrer na Rua de Lisboa, prevendo-se uma duração de duas semanas para estes primeiros trabalhos. O Presidente da CMSC assegura que haverá “sensibilidade para a época natalícia, para que os constrangimentos, nessa altura do ano, não sejam tão patentes, em especial para os comerciantes”. Álvaro Beijinha garante que a Câmara vai “acompanhar de muito perto a obra, de modo a que não tenha atrasos”.

“Esta é a primeira de um conjunto de obras que queremos desenvolver, nos próximos anos, na cidade. Temos um PEDU que está aprovado e que definiu um conjunto de obras para Santiago do Cacém, Vila Nova de Santo André, Alvalade e Cercal, no valor total de seis milhões de euros, a executar nos próximos anos, dentro deste quadro comunitário, que vai até 2022. Esta é a primeira aqui em Santiago. Vamos iniciar, para breve, outra obra incluída neste pacote, que é o Skate Park em Vila Nova de Santo André”, adianta Álvaro Beijinha.

A intervenção na Rua Prof. Egas Moniz vai desenrolar-se na extensão de 800 metros, entre a Rua da Estação dos Caminhos de Ferro e a Rua de Lisboa. Principais trabalhos a executar: Construção de três rotundas; Execução de bolsas de estacionamento; Melhoramento dos passeios e zonas de lazer; Construção da rede de abastecimento de águas, rede de drenagem de águas pluviais, pavimentação e zonas de cargas e descargas; Plantação de árvores e Colocação de mobiliário urbano, iluminação pública e sinalização rodoviária.

 

Discussão1 comentário

Deixar uma resposta

Share This