Santiago do Cacém: Conversa e exposição sobre o que as mulheres sabem fazer

0

O átrio do Auditório Municipal António Chaínho, em Santiago do Cacém, acolheu no sábado, o encontro de mulheres promovido pelo núcleo local do Movimento Democrático de Mulheres para celebrar o Dia Internacional da Mulher.

O conto de Marina Colasanti, A Moça Tecelã, lido por Maria Joyce, abriu o encontro que contou ainda com dois momentos de dança apresentados pela escola de dança Dance Choice e a leitura de poemas de Maria Guilhermina Vicente e José Régio.

Em ambiente descontraído, os temas foram sendo abordados ao sabor da conversa. O conto foi motivo para o início do debate em torno dos recomeços com que as mulheres estão confrontadas, nomeadamente a partir de situações de cancro e da entrada na reforma. A experiência de algumas participantes permitiu a discussão da iniciativa empresarial de mulheres artesãs, nomeadamente enquanto resposta a situações da vida pessoal ou profissional. Uma situação profissional que punha em causa o equilíbrio psicológico e a necessidade de responder às exigências de um filho autista foram algumas das razões evocadas para o início de uma actividade artesã. A partilha das reflexões das participantes deu lugar ao debate sobre os perigos de retrocesso nos direitos das mulheres.

Subordinado ao tema O que as mulheres sabem fazer, o encontro contou ainda com uma exposição de trabalhos elaborados por cerca de 20 artesãs e pelas mulheres que integram o projecto Fazendo e Aprendendo. Trabalhos de pintura em tecido e em madeira, bordado, costura, barro, fimo, bonecos em diversos materiais, pirogravura, malha, pintura a óleo sobre tela e fotografia foram algumas das técnicas dos trabalhos apresentados. O encontro contou ainda com pinturas faciais e a execução de desenho ao vivo.

A sessão terminou com a leitura de uma reflexão sobre a situação da luta pelos direitos das mulheres e que convidou à participação na Manifestação Nacional de Mulheres a ter lugar no próximo sábado, dia 4 de Março “para dizermos que somos uma força empenhada na promoção do respeito mútuo, da igualdade, da solidariedade e da dignidade humana, que somos necessárias para a construção de uma cultura de paz, democrática e progressista para Portugal e para o Mundo, que somos uma força de combate a todas as guerras e de solidariedade com as mulheres do Mundo”.

Moderado por Custódia Malveiro, do núcleo do MDM de Santiago do Cacém, o encontro contou ainda com a participação da vereadora da Câmara Municipal, Margarida Santos, entidade que apoiou a iniciativa, e da Presidente da Assembleia Municipal, Paula Santos.

Deixar uma resposta

Share This