Sines: Festival Músicas do Mundo despediu-se de Porto Covo e ruma a Sines

0

Porto Covo despediu-se ontem do Festival Músicas do Mundo, depois de três dias de “descoberta”, com doze projetos musicais a subir ao palco, que “se muda” para Sines esta segunda-feira, com intensificação de concertos nos primeiros dias da semana.

Fins de tarde com sol, embora com algum vento, “música agradável” e “diversificada” fizeram “muita gente feliz”, durante os três dias de Festival Músicas do Mundo (FMM) na aldeia turística de Porto Covo, no concelho de Sines, disse à agência Lusa o programador do festival, Carlos Seixas, satisfeito com o fim-de-semana de concertos.

Além do “ambiente”, com um público “conhecedor” e “com vontade de conhecer”, Carlos Seixas destacou os projetos “interessantíssimos” que subiram ao palco de Porto Covo e que contribuíram para o sucesso dos primeiros três dias.

“Foram dias felizes na música que passou aqui, coisas interessantissimas como Mohammad Reza Mortavazi (Irão), Leyla McCalla (EUA), Waldemar Bastos (Angola), João Afonso & Costa Neto (Moçambique/Portugal), Nessi Gomes (Reino Unido) e Bareto (Perú)”, exemplificou, com dificuldade em destacar alguns dos doze projetos que pisaram o palco alentejano.

Enquanto Carlos Seixas falava à agência Lusa, ainda durante o último concerto da noite, The Barberettesque começou depois das 00:00, o público dançava divertido ao som da banda sul-coreana, que se inspira nas décadas da música pop americana dos anos 50 e 60 do século passado.

Antes, tinha já passado pelo palco do FMM a lusodescendente Nessi Gomes, com um espetáculo emocionado com que se estreou em Portugal e em que apresentou o seu primeiro album, “Diamonds and Demons”, lançado no final de 2016.

A Orquestra Latinidade, um projeto lisboeta, que junta músicos portugueses, espanhois, brasileiros, argentinos e italianos, e o Basel Rajoub Trio (Síria/Itália/Áustria) subiram também ao palco na última noite do festival em Porto Covo.

O FMM continua, a partir de hoje em Sines, com cinco concertos agendados a partir das 18:00, o que representa um maior número de espetáculos, em relação a edições anteriores, nos primeiros dias de volta à cidade de Vasco da Gama.

“Há uma intensificação de concertos nestes dois dias que seriam geralmente uma pequena quebra”, destacou Carlos Seixas, que justifica a opção de acrescentar mais espetáculos com o facto de haver “cada vez mais pessoas que estão todos os dias no festival”, além de também possibilitar que o “público se possa distribuir mais” e tenha “mais opções de escolha”.

Os concertos começam hoje em Sines, às 18:00, com Cantos de Cego da Galiza e Portugal (Espanha/Portugal), Mike Love (EUA), Makely Ka (Brasil) e Coladera (Brasil/ Portugal/Cabo Verde).

Até domingo há mais 44 projetos musicais para ver nos vários palcos da cidade, entre o Pátio das Artes, o Centro de Artes de Sines, o Largo Poeta Bocage, a avenida Vasco da Gama e o Castelo.

Paralelamente ao programa de concertos, há atividades previstas no programa, para pequenos e graúdos, com ateliês com músicos, exposições, conversas com escritores e feira do disco, do livro e de artesanato.

Deixar uma resposta

Share This