Sines: ‘Mar de Sines’ estreia domingo e homenageia os pescadores do concelho

0

Testemunhos de três gerações de pescadores, com a partilha de histórias e memórias da pesca tradicional, estão reunidos no documentário “Mar de Sines”, um projeto da câmara municipal com estreia marcada para domingo.

“O objetivo deste documentário é prestar uma homenagem aos pescadores do concelho e continuar a valorizar o mar de Sines”, realçou o presidente do município, Nuno Mascarenhas.

O filme é realizado por Diogo Vilhena, com produção e assistência de realização de António Campos e banda sonora original de Charlie Mancini, com a participação de músicos da região.

A estreia insere-se nas comemorações do 25 de Abril no concelho e acontece no domingo, às 21:30, no Castelo, voltando a ser apresentado ao público na segunda-feira, no auditório do Centro de Artes de Sines a partir das 16 horas.

“Mar de Sines”, num investimento de quase 41.500 euros, cofinanciado em 75% pelo PROMAR – Programa Operacional da Pesca 2007-2013, resulta de mais de 100 entrevistas e de 250 horas de gravações, tendo envolvido mais de duas mil pessoas nos processos de rodagem e pós-produção.

A sua criação, segundo o município, foi apoiada por 27 entidades locais e nacionais, que cederam documentos e fotografias das suas coleções, prestaram consultoria científica e facilitaram a realização de entrevistas e das 60 horas de filmagens a bordo de embarcações de pesca.

“Do meu ponto de vista, é um filme que será único a nível nacional. Há um vasto espólio que vai ser apresentado, nesta primeira fase, mas o documentário é apenas o iniciar de um projeto mais vasto que queremos concretizar”, centrado na “ligação de Sines ao mar”, disse o autarca.

Dedicado aos pescadores do concelho, o documentário reúne “os testemunhos de três gerações de pescadores, que são os protagonistas de uma pesca baseada nas artes tradicionais e no respeito pelos recursos”.

O porto de pesca e os seus intervenientes constituem o núcleo principal do filme, mas o projeto “navega para outros territórios”, pois, “encontra os últimos pescadores-cabaneiros de São Torpes, percorre a costa rochosa com os mariscadores e escuta as memórias dos pescadores do alto”.

Segundo Nuno Mascarenhas, durante “mais de uma hora”, o documentário “mostra os vários tipos de pesca que existem, a Ilha do Pessegueiro, a jangada de São Torpes, a lota, as artes, os fenómenos naturais que aconteceram ao longo dos últimos anos, a ligação entre a pesca e a indústria, as festas e as comunidades piscatórias”, entre outras vertentes.

Na prática, sublinhou, o filme “pretende homenagear todos aqueles homens e mulheres que, durante uma vida, se dedicaram ao mar” e contribuir para “afirmar Sines enquanto marca, com características e matrizes do seu mar”, com o objetivo de “proteger este património marítimo que é tão valioso”.

“A exibição do documentário vai constituir, certamente, um momento único, com muito interesse por parte da comunidade de Sines”, vaticinou o autarca.

Deixar uma resposta

Share This