Sines: Multiculturalidade em evidência no último dia de Músicas do Mundo em Porto Covo

0

A fusão de estilos musicais com influências culturais, habitualmente patentes no Festival Músicas do Mundo de Sines, evidenciam-se hoje em quatro concertos com músicos com raízes na Síria, Itália, Áustria, Reino Unido, Portugal e Coreia do Sul.

Com influências da música clássica oriental, jazz e da música contemporânea, o Basel Rajoub Trio vai subir ao palco do Largo Marquês de Pombal, às 20:00, para abrir, a última noite de concertos na aldeia turística do concelho de Sines, no distrito de Setúbal.

O saxofone de Basel Rajoub, natural de Alepo (Síria), vai ser acompanhado pelas percussões do italiano Andrea Piccioni e pela sanfona do austríaco Matthias Loibner.

A Orquestra Latinidade, que tem espetáculo agendado para as 21:15, é apresentado como um grupo português, que tem Lisboa o seu “berço”, contudo os seus elementos são cantores e instrumentistas da Europa e da América do Sul, que levam ao palco um projeto multicultural com “sabor” a Argentina, Itália, Brasil, Espanha e Portugal.

Na última noite de música em Porto Covo, está ainda programado para as 22:45 um concerto da lusodescendente Nessi Gomes, que traz do Reino Unido um espetáculo de “folk alternativa”.

A fechar o cartaz do Festival Músicas do Mundo (FMM) de Sines na aldeia turística alentejana, sobe ao palco o grupo sul-coreano The Barberettes, para um espetáculo que leva a viajar no tempo até aos anos 50 e 60, com música indie.

Depois de três dias e doze concertos em Porto Covo, o FMM muda-se na segunda-feira para Sines, para onde estão agendados mais 44 concertos, uns gratuitos, outros pagos, distribuídos pelo Pátio das Artes, pelo Largo Poeta Bocage e o Centro de Artes de Sines, pela Avenida Vasco da Gama e pelo Castelo.

No ano em que decorre a 19.ª edição do festival, o FMM foi distinguido pelo júri do EFFE Label, com o selo europeu de qualidade atribuído a festivais de todas as áreas artísticas. O FMM é um dos 26 “festivais laureados” entre os 715 aos quais foi atribuído o selo no biénio 2017-2018, segundo divulgou, numa nota enviada à agência Lusa, a Câmara Municipal de Sines.

O EFFE Label reconhece “excecional qualidade, trabalho, empenho e impacto nos seus contextos e territórios”. O FMM é assim candidato ao EFFE Award, da European Festival Association, que é anunciado em setembro, em Bruxelas.

Além do festival alentejano, está nomeado outro projeto português, o festival Walk&Talk, dos Açores, a par de festivais de arte e de música de Espanha, Irlanda, Alemanha, Itália, Grécia, Eslováquia, Chipre, Reino Unido, Sérvia, Hungria, Dinamarca, Polónia, Itália, Ucrânia, Bulgária, França, Estónia, Geórgia, República Checa e Holanda.

Deixar uma resposta

Share This