Sines: Portugal entre as raízes e a modernidade marca presença no FMM Sines 2016

0

As novas confirmações do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, cuja 18.ª edição se realiza entre 22 e 30 de julho de 2016 em Porto Covo e Sines, são portuguesas ou com ligações a Portugal.

O grupo a jigsaw, formado em Coimbra, faz música independente com influências de folk, country e blues, acompanhada pela The Great Moonshiners Band.

Carlos Martins, um dos mais conceituados saxofonistas portugueses, apresenta-se com o seu quarteto e dois músicos cabo-verdianos convidados: a cantora Jenifer Solidade e o pianista Khaly Angel.

Criatura é um grupo de renovação da música tradicional, em que adufes convivem com sintetizadores e gaitas com eletricidade.

Filho da Mãe é o projeto a solo de Rui Carvalho, um dos grandes guitarristas portugueses.

Hearts and Bones são Petra Pais e Luís Ferreira, fundadores de uma das mais reconhecidas bandas de blues nacionais, a Nobody’s Bizness.

Jibóia é o nome pelo qual o multi-instrumentista português Óscar Silva é conhecido no seu projeto a solo.

Norberto Lobo é um guitarrista e compositor português com um idioma que transcende géneros e tradições musicais.

OliveTreeDance é um trio portuense criado em torno do som do didgeridoo, instrumento de sopro do povo aborígene da Austrália.

Retimbrar é um coletivo musical do Porto que se propõe como desígnio “conhecer e dar a conhecer a herança popular e cultural portuguesa”.

Sebastião Antunes & Quadrilha, juntos desde 1991, fazem parte do clube dos clássicos da música com raízes em Portugal.

Segue-me à Capela é um coletivo de sete mulheres que trabalha a música tradicional portuguesa numa perspetiva contemporânea, usando a voz como principal instrumento.

A última confirmação é guineense. Karyna Gomes é uma cantora e compositora que mostra o lado mais urbano da Guiné-Bissau, com influências de jazz, soul e música latina.

Deixar uma resposta

Share This