Sines: Sindicato acusa Petrogal de discriminar trabalhadores em pagamento

0

Os trabalhadores da refinaria de Sines acusam a administração da Petrogal de só pagar o prémio de produtividade a trabalhadores filiados em sindicatos da UGT e não sindicalizados, que subscreveram o novo Acordo de Empresa (AE).

“O prémio de produtividade devia ter sido pago no final do mês de março, mas só receberam esse prémio os trabalhadores filiados em sindicatos da UGT e os cerca de 230/250 trabalhadores não sindicalizados”, disse à agência Lusa o sindicalista Hélder Guerreiro, do SITESUL – Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul.

Já “os mais de 200 trabalhadores filiados em sindicatos da CGTP/IN, que não subscreveram o novo AE, não receberam o prémio de produtividade”, acrescentou o sindicalista, que acusou a empresa de “discriminação” para “chantagear” os trabalhadores que não subscreveram o documento.

Hélder Guerreiro falava à agência Lusa no final de uma reunião plenária de trabalhadores da refinaria de Sines, que decidiram mandatar a comissão sindical para acompanhar outras reuniões plenárias dos trabalhadores da Petrogal, no Porto e em Lisboa, marcadas para quarta e quinta-feira.

Segundo Hélder Guerreiro, os sindicatos afetos à CGTP/IN nunca poderiam subscrever um acordo que, nos termos em que é proposto, significaria “carta-branca” à administração da Petrogal para decidir questões salariais e eventuais reduções de direitos adquiridos e que estavam consagrados no anterior acordo.

“É uma situação que já se arrasta há três anos”, acrescentou o sindicalista, adiantando que os trabalhadores da refinaria de Sines poderão acompanhar eventuais formas de luta que venham a ser decididas pelas estruturas sindicais de Lisboa e Porto.

A agência Lusa contactou fonte oficial da Petrogal que recusou prestar declarações, alegando não comentar questões internas da empresa.

Deixar uma resposta

Share This