Sines: Vicente Alves do Ó inicia hoje rodagem do filme ‘Al Berto’

0

O realizador Vicente Alves do Ó inicia hoje a rodagem de ‘Al Berto’, “um filme geracional, do pós 25 de abril, feito através da história de vida do poeta Al Berto”.

Com produção da Ukbar Filmes, a rodagem decorrerá em Sines e em Lisboa até meados de novembro e é uma ficção, um filme de época, inspirada num período da vida do poeta Al Berto, na década de 1970, mas é também “um passeio por uma geração dos vinte anos que na altura recebeu de bandeja a liberdade”.

“Foi uma figura ímpar, não só de Sines, abanou as convenções e a sociedade de então. Traz uma ideia de futuro, de liberdade e a sociedade não estava preparada para a diferença”, contou Vicente Alves do Ó, que conheceu e trabalhou com Al Berto no início dos anos 1990.

O elenco do filme conta com “uma nova geração de atores, que não é conhecida do cinema, nem da televisão” e com atores já com longo trabalho na representação, e dele fazem parte nomes como Ricardo Teixeira, que interpretará o papel de Al Berto, Joana Almeida, Manuela Couto, Miguel Seabra, Rita Loureiro e Elsa Valentim.

‘Al Berto’ tem apoio financeiro do Instituto do Cinema e Audiovisual e da autarquia de Sines e deverá estrear-se nos cinemas em 2017.

O poeta e editor Al Berto (pseudónimo de Alberto Tavares) nasceu em Coimbra, mas cresceu em Sines, onde escreveu ‘À procura do vento num jardim d’agosto’ e dirigiu o Centro Cultural Emmerico Nunes. Morreu em 1997 aos 49 anos, dez anos depois de ter recebido o Prémio Pen Clube pela antologia poética ‘O Medo’.

Vicente Alves do Ó filma ‘Al Berto’ meses depois de ter estreado nos cinemas a comédia ‘O amor é lindo… porque sim!’.

O realizador é ainda autor de ‘Florbela’ (2012) e ‘Quinze pontos na alma’ (2011) e várias curtas-metragens.

‘Al Berto’ e ‘Florbela’ são dois filmes de uma trilogia que Vicente Alves do Ó quer dedicar a poetas portugueses que o influenciaram na adolescência. Está ainda em aberto a escolha do terceiro, embora à Lusa tenha referido os nomes de Herberto Hélder, Luís Vaz de Camões e Sophia de Mello Breyner Andersen. “São escolhas puramente emocionais”, disse.

A par do cinema, Vicente Alves do Ó encenou, em junho em Lisboa, a peça ‘Variações de António’, um monólogo para o ator Sérgio Praia, inspirado na biografia do músico António Variações.

Deixar uma resposta

Share This