Alentejo representa Portugal em programa europeu com 20 regiões piloto

0

O Alentejo é uma das 20 regiões piloto da Europa e a única portuguesa selecionadas pelo Comité das Regiões para um programa de implementação de políticas públicas europeias através de redes de dimensão regional, foi hoje anunciado.

O programa RegHub, Network of Regional Hubs for EU Policy Implementation, visa “valorizar a importância das redes regionais de parceiros, a sua relevância na governação regional e o seu impacto na implementação de políticas públicas de dimensão europeia”, explicou hoje a Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL).

“Na seleção de 20 regiões europeias ao programa RegHub, o Comité das Regiões” da União Europeia “selecionou o Alentejo, única região portuguesa, como uma das regiões piloto na implementação de políticas públicas europeias através de redes de dimensão regional”, no âmbito do RegHub, acrescentou.

A eleição do Alentejo nesta iniciativa foi promovida pela ADRAL, que referiu que os seus acionistas “emitiram inúmeras cartas de suporte, confirmando a sua participação” nas redes regionais de governança “relevantes para a implementação de políticas públicas alinhadas com as estratégias europeias”.

Além da região portuguesa, o RegHub integra duas regiões da Alemanha (Brandeburgo e Renânia do Norte-Vestefália), duas de França (Bretanha e Hauts-de-France), duas de Espanha (Madrid e Valência), o mesmo número de Itália (Bolzano/Bozen e Úmbria), outras tantas da Polónia (Mazowieckie Voivodeship e Zachodniopomorskie) e também duas da Áustria (Alta Áustria e Vorarlberg).

O “lote” de regiões piloto fica completo com Dubrovnik-Neretva (Croácia), Flandres (Bélgica), Helsínquia-Uusimaa (Finlândia), Ialomita (Roménia), Limburgo (Holanda), Northern and Western Region (Irlanda) e Tessália (Grécia).

O Comité das Regiões Europeu é uma instituição europeia composta por representantes eleitos de autoridades regionais e locais dos países da União Europeia.

O organismo, segundo a ADRAL, “proporciona um espaço de partilha de opiniões sobre a legislação europeia com impacto direto nas regiões e nas cidades”.

“As regiões e as cidades têm voz ativa no processo legislativo europeu”, pois, esta instituição garante que “os interesses e as necessidades das autoridades regionais e locais são devidamente considerados”, frisou a mesma agência regional.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.