Igreja Matriz de Santiago do Cacém reabre para integrar novo roteiro turístico

1

A Igreja Matriz de Santiago do Cacém (Setúbal) reabriu este verão ao público, depois de dois anos encerrada, e vai integrar um novo roteiro turístico para valorizar o património religioso do concelho

O pároco de Santiago do Cacém, Paulo do Carmo, explicou à agência Lusa que a igreja, classificada como Monumento Nacional, reabriu em julho com o apoio do município, que vai assegurar as despesas de uma funcionária.

“Com a reabertura, permitimos que os crentes frequentem a igreja com maior regularidade e que os turistas visitem um dos espaços mais procurados no centro histórico da cidade, devido à sua riqueza patrimonial e religiosa”, disse.

De acordo com o pároco, a Igreja Matriz, desde o seu encerramento, em meados de 2016, por falta de funcionários, abria apenas duas vezes por mês para permitir “o culto” da comunidade local.

A reabertura do espaço religioso, segundo o sacerdote, “vai ser o ponto de partida para a criação de um roteiro turístico”, que vai ligar a Igreja Matriz à Igreja da Misericórdia e à Capela das Almas, também no centro histórico da cidade alentejana.

“É um projeto que está a ser formado com o objetivo de divulgar o património religioso através de uma pequena brochura, que levará os turistas a visitar as duas igrejas e, possivelmente, a Capela das Almas e as ermidas muito antigas, conhecendo melhor a história da cidade e do concelho”, frisou.

“Isto é fruto de um projeto que está a ser desenvolvido por 35 voluntários, a maioria crentes, que vão receber formação com o objetivo de reabrir também a Igreja da Misericórdia e garantir o funcionamento da Igreja Matriz nos dias em que está fechada, aos domingos e segundas-feiras”, acrescentou o pároco.

Considerada um dos ex-líbris de Santiago do Cacém, a Igreja Matriz, localizada junto ao castelo, acolhe ainda o Museu de Arte Sacra, cujo espólio integra a peça ‘Santo Lenho’, pedaço da Cruz de Cristo que, segundo a tradição, foi oferecida pela princesa bizantina D. Vetácia Lascaris.

“O museu vai permanecer fechado ao público, porque é necessário reestruturar a sua organização, criar uma comissão de gestão, tratar das obras de arte e fazer o inventário das peças de índole religioso”, explicou o padre, referindo-se ao núcleo museológico como “um dos melhores” da Diocese de Beja.

“Temos de investir neste espaço e prevemos que, até ao final do ano, estarão criadas as condições para reabrir o Museu de Arte Sacra de Santiago do Cacém, cuja entrada poderá vir a ser paga, um valor simbólico, para ajudar na conservação das peças”, concluiu.

No primeiro mês, após a reabertura, a Igreja Matriz recebeu 1.200 visitantes, a maioria turistas estrangeiros.

Discussão1 comentário

  1. Que rica mentira. A Igreja Matriz de Santiago do Cacém encerrou oficialmente e definitivamente a sua abertura ao público em Outubro de 2017, como podem comprovar os documentos oficiais, cuja consulta está aberta conforme solicitação. De que dois anos estar encerrada a dita Igreja fala o Sr.Pároco e o Sr. Presidente da Câmara Municipal?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Share This