Odemira: Empreendedorismo, emprego, políticas sociais e culturais são as prioridades para 2018

0

A Câmara de Odemira anunciou ter aprovado um orçamento de 32,6 milhões de euros para 2018, definindo como prioridades o estímulo ao empreendedorismo, emprego, políticas sociais e culturais, participação cívica e a qualificação do território.

O desenvolvimento económico e emprego, a inclusão e solidariedade, a intervenção sociocultural, inovação e conhecimento e a qualificação urbana e ambiental são algumas das áreas em que a autarquia pretende concentrar a sua atuação no próximo ano, segundo divulgou em comunicado.

O município de Odemira, no distrito de Beja, de maioria socialista, quer dessa forma, cumprir o “compromisso” de desenvolvimento, crescimento e de “elevação da qualidade de vida” no concelho.

O orçamento para 2018 foi aprovado pela maioria PS em reunião de câmara, com os votos contra dos dois eleitos da CDU, tendo sido aprovado também por maioria pela Assembleia Municipal, com os votos contra da CDU e a abstenção dos eleitos do PSD e do BE.

Durante o próximo ano, a autarquia prevê um “esforço considerável na manutenção e conservação de uma significativa parte da rede de acessibilidades municipais, com recurso a meios financeiros exclusivamente de origem municipal”.

No comunicado enviado à agência Lusa, a câmara diz que se compromete a continuar “uma gestão autárquica de equilíbrio e sustentabilidade”, com base no “máximo aproveitamento das oportunidades de financiamento externo, com origem em parcerias” e em fundos comunitários, “sem recurso à capacidade de endividamento do município”.

A autarquia destaca ainda a “o alívio da carga fiscal” dos munícipes e empresas no concelho, a isenção da Taxa Municipal de Proteção Civil e a continuidade dos preços praticados desde 2010 relativamente aos serviços de água, águas residuais e resíduos sólidos, “apesar do crescente estrangulamento na capacidade de atuação municipal em vários domínios”.

Do orçamento de 32,6 milhões de euros para o próximo ano, superior em cerca de 2,4 milhões de euros ao previsto para 2017, 500 mil euros são destinados a investimentos aprovados no âmbito do Orçamento Participativo, em que os munícipes escolhem quatro projetos para concretizar, e 180 mil euros ao Programa de Apoio às Atividades Culturais e Recreativas.

 

Deixar uma resposta

Share This