Portos do continente movimentaram mais 7,1% de carga em janeiro

0

Os portos do continente movimentaram 8,25 milhões de toneladas de carga em janeiro, um valor superior em 7,1% ao período homólogo, de acordo com dados revelados pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

Segundo uma nota hoje divulgada, “este comportamento explica-se essencialmente pelo desempenho dos portos de Sines e Setúbal, onde se verificaram acréscimos de 19,7% e de 3,5%, respetivamente”, salientou a AMT.

As áreas da carga contentorizada e o carvão, bem como a carga fracionada, os outros granéis líquidos e os produtos petrolíferos “foram também responsáveis por aqueles indicadores”, indicou a entidade.

Apesar desta ‘performance’, Sines e Setúbal foram os únicos portos, “independentemente da tipologia da carga movimentada, a registar um desempenho positivo. Dos comportamentos negativos, Figueira da Foz merece particular destaque, ao registar uma variação negativa de 25,5%”, sendo que a AMT realça que esta infraestrutura apresenta uma “significativa irregularidade mensal”

“O mês de janeiro de 2019 fica também marcado pelo aumento da quota maioritária absoluta do porto de Sines no segmento dos contentores, que representa 61,5% do total”, refere a AMT.

Aliás, no segmento dos contentores, “constata-se que o sistema portuário do continente movimentou em janeiro de 2019 o volume de 261.055 TEU [unidade de medida de contentores], uma variação homóloga de 15,4% face a 2018”, de acordo com a mesma nota.

Este resultado deve-se sobretudo ao crescimento de Leixões e de Sines, de 21,5% e 21,9%, que, “juntamente com Setúbal e Figueira da Foz, conseguiram anular a variação negativa de Lisboa (menos 13,3%)”.

A AMT revelou ainda que nos portos comerciais “registou-se um total de 835 escalas (menos 3,5% face a janeiro de 2018) de navios de diversas tipologias no primeiro mês do ano de 2019”.

De acordo com a informação disponibilizada pela AMT, Viana do Castelo, Figueira da Foz e Setúbal são os portos que apresentam um perfil de “exportador, registando um volume de carga embarcada superior ao da carga desembarcada, com um quociente entre carga embarcada e o total movimentado, no período em análise, de 89,4%, 67,1% e 50,2%, respetivamente. O porto de Faro, que tradicionalmente integra esta lista, não registou atividade de movimentação de carga em janeiro de 2019”, salientou a entidade.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.