Região: Dimitri Strakhov venceu em Sines a segunda etapa da Volta ao Alentejo Crédito Agrícola

0

O russo Dimitri Strakhov (Lokosphinx) venceu, em Sines, a segunda etapa da 36ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola. A Camisola Amarela mantém-se na Team Wiggins, mas passou para Mark Downey, o segundo a cruzar a linha de meta na chegada discutida ao sprint entre alguns dos mais jovens participantes na “Alentejana”. O pelotão que esta quinta-feira, 15 de março, saiu de Beja, teve pela frente a maior tirada da competição, 205,2Km.

Apesar do triunfo, Strakhov, que venceu a Clássica da Arrábida no passado domingo (11 março), está muito atrasado na classificação e longe dos melhores lugares. Mark Downey está agora no topo da classificação, depois de ter “roubado” a Amarela ao companheiro de equipa, Gabriel Cullaigh. O novo líder da Alentejana disse em jeito de graça que a paz está garantida na equipa “Não importa quem vence, eu fui apenas a cereja no topo do bolo. Só mostro o jogo mesmo quando é preciso, prefiro estar escondido, mas amanhã não vai ser fácil com esta Camisola Amarela.” Downey de 21 anos acumula também a liderança dos Pontos e da Juventude.

Feitas as contas no topo da classificação individual, o espanhol Oscar Martinez (Aviludo/Louletano/ULI) ocupa a segunda posição e o francês Justin Jules (WB Aqua Protect Veranclassic) desceu para terceiro. Na classificação destinada aos melhores “trepadores”, o segundo lugar do líder Alexander Evtushenko (Lokosphinx) na única contagem de montanha do dia, no concelho de Odemira, permitiu ao jovem russo manter a Camisola Castanha Delta Cafés.

Os 132 corredores que saíram de Beja esta quinta-feira fizeram-no ainda com as mazelas de uma dura jornada inaugural que “atirou” 14 homens para fora da lista inicial de inscritos. Mas os 205,2Km, guardados para o segundo dia de competição, foram brindados com um dia de sol, ainda que envergonhado, e uma temperatura média a rondar os 16 graus centígrados no  início da etapa. Depois de algumas ameaças iniciais, ao quilómetro 57 juntou-se na frente um grupo de 10 unidades que chegou a ter uma vantagem máxima de 2 minutos e 40 segundos.

Volvidos mais de 120 Km de fuga, impulsionada nos primeiros momentos por Alejandro Marque (Sporting/Tavira), Luís Fernandes (Aviludo/Louletano/ULI) e Peio Goiogana (Team Euskadi), os 10 homens da frente começaram a perder terreno, e unidades, para um pelotão comandado pela Efapel – inicialmente – e pela equipa do Camisola Amarela Team Wiggins, já na fase final. Para os derradeiros momentos de aproximação à meta instalada no coração de Sines, o pelotão imprimiu um ritmo vigoroso, próprio de quem procura a vitória, e brindou o litoral alentejano com a classe de uma prova que percorre a região há 36 anos.

Com o fim de semana quase à porta, a prova chega a meio. O terceiro dia de competição vai acrescentar mais 149,3Km às pernas dos bravos do pelotão. A partida de Grândola está marcada para as 11h50, da Avenida António Inácio da Cruz. O caminho será animado pela passagem nas Metas Volantes de Alcácer do Sal (18,5KM), São Geraldo (77,6Km) e Pavia (127Km). Os Prémios de Montanha em Montemor-o-Novo (63,7Km) e Mora (118,9Km), ambos de 4ª categoria, vão animar a luta pelo melhor trepador da “Alentejana”. Por volta das 15h40, Arraiolos junta-se para receber o final de mais uma jornada de ciclismo.

Deixar uma resposta

Share This