Região: Presidente das Infraestruturas de Portugal explica estado das acessibilidades na região

0

O Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal realizou a sua segunda reunião ordinária, no dia 6 de novembro, na PSA Sines.

Tendo como temática central o Eixo 2 do Plano Estratégico de Desenvolvimento do Alentejo Litoral 2020 – Afirmação do Pólo Económico de Sines, relacionado com as questões da acessibilidade e transportes, a reunião contou com a presença do Presidente das Infraestruturas de Portugal, António Ramalho, que apresentou o planeamento daquela entidade para o Alentejo Litoral.

Das várias questões apresentadas pelos cinco presidentes de Câmara (Alcácer do Sal, Grândola, Odemira, Santiago do Cacém e Sines) destaca-se o agravamento diário do troço do IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola, os difíceis e escassos acessos a Odemira e a ligação de Santo André a Sines sinalizada por «pinos».

De referir que se encontra em fase de conclusão a negociação entre as Infraestruturas de Portugal e a Sociedade Portuguesa para a Construção e Exploração Rodoviária (SPER), subconcessionário das estradas do Baixo Alentejo, no sentido da reversão de boa parte dos troços concessionados no Alentejo Litoral. Consequentemente, o início das obras do IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola estão dependentes dessa negociação.

No que respeita ao IC4, António Ramalho informou que não existe previsão para a construção do mesmo, nem de uma nova via longitudinal e costeira entre o Alentejo Litoral e o Algarve.

Relativamente à A26 (Sines- Beja), foi reconfirmado o cancelamento da mesma, estando a decorrer obras de recuperação dos espaços. Foi ainda apresentado o planeamento para a ferrovia Sines – Espanha, que irá sofrer algumas obras de reconversão da linha entre Sines e Ermidas-Sado e também na Linha do Sul.

Para além disso, foi ainda apresentada por Paulo Madruga, consultor da Augusto Mateus & Associados, a implementação do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão do Alentejo Litoral e o modelo de governação definido na Estratégia Integrada de Desenvolvimento Territorial, ancorado no órgão consultivo desta Comunidade Intermunicipal, o Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal. De acordo com o consultor, este modelo de governação é fundamental para a região, visando a defesa e o desenvolvimento da mesma.

Em conformidade com as anteriores reuniões, houve ainda espaço para se discutirem assuntos do interesse da sub-região e da articulação em torno das intervenções das diversas entidades.

O encontro terminou com uma apresentação da PSA, seguida de uma visita guiada ao Terminal XXI.

Deixar uma resposta

Share This